INSPIRAÇÃO

"Não se sabe ao certo o que é a "inspiração", mas pode-se dizer que a inspiração artística é algo que "surge" dentro do ser humano que o motiva a criar, desenhar, construir… e essa sensação pode dar prazer ou orgulho… é o pensamento ou ideia que temos, algo que nos vem de repente, algo do momento, produto da nossa imaginação…"

São as nossas vivências que permitem chegar à realização, à concretização duma ideia, que “cresce” muitas vezes ao sabor da experimentação… o fazer… o desfazer… o refazer.

... a ideia vai crescendo, muitas vezes, fruto das nossas memórias !

... as memórias da infância e, de uma noite  de natal vivida intensamente, onde apenas um presente, uma boneca, enche-me de uma vontade eterna de ter sempre a família presente...

... a memória… de vestir …despir… transformar… essa e outras bonecas.

... as memórias… de brincar… enfeitar-me… com lenços… e véus de levar à missa  de minha mãe.

... as memórias… de ver as minhas tias... lindas... com vestidos… minis… garridos… um de cor verde… outro com cornucópias, talvez espirais de várias cores… amarelas… laranjas… roxas… onde umas botas altas, roxas, compunham a toilete.

… a memória… dos vestidinhos que a minha madrinha me fez… um  azul, cheio de pequenas espirais.

… a memória… de colares que fazíamos de pinhões que recolhíamos do pinhal perto de casa , e o meu pai fazia fogueiras para abrir as pinhas que nos levavam a encher baldes de pinhões.

… a memória… de  colares de malmequeres amarelos e brancos que recolhia na Primavera, com a minha irmã e amigas, nos terrenos baldios, onde brincávamos perto de casa.

… a memória das poucas vezes que fomos à praia e,  das pequenas pérolas encontradas nas camarinhas… saboreadas… no sítio da Nazaré… onde a forma bravia, revolta das ondas… há tantos anos, como agora… não fazia adivinhar a projeção  atual do Canhão da Nazaré… “descoberto” nos records de McNamara.

Mais tarde…

… as memórias… de cores garridas, laranja, verde, azul, pintadas em paredes, num bar de Tavira, com aromas intensos da Dama da Noite.

... as memórias... de sensações... emoções fortes que experimentei a certa altura no palco do teatro amador a que pertenci...

… as memórias dos livros… dos filmes que vi, que nos transportavam para lugares, sítios, formas de estar e ser tão distantes, ou não… de mim…

…as memórias de África… de Ásia… das Américas… lugares onde nunca estive, culturas preenchidas de símbolos e artefactos étnicos que tanto aprecio. 

…as memórias… e provocações… no exagero de adornos nas mulheres girafa que vi algures a certa altura…

… as memórias de cores e formas … que fui apreciando em quadros de pintores famosos, na coleção de livros que fui fazendo...

 ... espirais douradas….  nas obras de Gustav Klimt… e a sua árvore da vida…

... círculos de cores fortes pintados por Kandinsky… no seu estudo das cores ...

... e Chagall ???... a magia... a côr... o amor...

… as memórias esquecidas… vividas… não vividas… inconscientes e conscientes  que nos levam a preferir…  a escolher… certas  formas… certas cores… certos caminhos…

as memórias presentes… de tardes bem passadas… divertidas… stressantes… confusas…embriagantes… a imaginar… a procurar formas de poder construir este projeto…

... construído com amor... concluído... ou não... graças...  ao incentivo do meu marido… à participação das minhas sobrinhas… cunhada… irmã…

... e ainda, à participação especial do meu irmão cujo gosto e paixão pela fotografia ajudaram a “mostrar” este projeto...

... trabalho que podem visitar... em https://www.facebook.com/RVieiraPhotography/